Aula 8: A fé

aula-8

1. Existem dois tipos de fé:

a) Natural. É a fé que todo homem possui, baseando-se em algo material. Uns crêem na qualidade do seu time para ser campeão; outros na sua capacidade intelectual para passar no vestibular; outros acreditam na sorte pelo fato de terem comprado um bilhete lotérico e por aí vai. Tudo isto é fé natural, que se baseia em algo palpável.

b) Sobrenatural. É a fé baseada no poder da palavra de Deus que traz a existência as coisas que não existem. Quem possui a fé sobrenatural se apóia exclusivamente no Senhor Jesus e na força de seu poder (Ef 6:10). Esta é a fé que move montanhas. Continuar lendo

A justificação pela fé em Jesus

Desde a queda do homem no Éden, o pecado entrou no mundo submetendo toda a raça humano sob o seu domínio. Por isso escrito está: “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23). E, em vez de voltar-se para Deus em busca do perdão e salvação, a raça humana mergulhou cada vez mais no oceano do pecado, irritando ao Senhor, atraindo para si o dilúvio, como recompensa pelos seus atos. E mesmo com a salvação de Noé e toda a sua família, a natureza humana provou mais uma vez que estava corrompida pelo pecado.

Deus chamou a Abraão e consigo fez uma aliança de que iria abençoar e restaurar a raça humana através de sua descendência. Abraão creu nas palavras do Senhor e foi salvo pela sua fé.

Após a saída de Israel do Egito, Jeová enviou a sua Lei através de Moisés, afim de mostrar que o pecado estava enraizado na natureza humana e era isso que o distanciava cada vez mais. Mas, a Lei era incapaz de operar o milagre da regeneração e do novo nascimento, porém também não era este o seu propósito.

Por muito tempo acreditou-se que se cumprindo fielmente a lei, se alcançaria a salvação. Porém homem nenhum foi salvo pela Lei. Também se acreditou que sendo filho de Abraão segundo a carne, se alcançaria a salvação, e isso também não era verdade. Também se acreditou que fazendo boas obras alcançariam a salvação, e isso também não era verdade.

Cristo segundo a descendência de Abraão, vindo como cumprimento da promessa de Deus ao patriarca, mostrou que a Lei era incapaz de mudar a natureza humana, que o milagre do novo nascimento e da regeneração humana só poderia acontecer pela fé no sacrifício perfeito do Cordeiro de Deus.

Pela fé no sacrifício de Cristo, temos para com Deus o nosso histórico de pecados totalmente apagado. Somos declarados inocentes e justos pelo poder purificador que há no sangue de Jesus, a qual tomamos posse desta vitória pela fé e não por obras, méritos ou descendência segundo a carne.

Um Novo Testamento então surgiu, uma nova Lei de Vida chegou e uma Nova Aliança entrou em vigor e um novo caminho se nos abriu pelo qual temos novamente livre acesso a Deus, por sua graça o qual nos redimiu pelo sangue de seu Filho Unigênito.

A salvação é um dom gratuito de Deus, que pelo qual não temos como pagar, apenas reconhecer que o seu amor foi capaz de oferecer tamanha dádiva.

Este é o nosso tempo, o tempo da Igreja, o tempo dos gentios. A salvação está sendo proclamada a todos os povos, línguas e nações. Que todos possam compreender o real significado deste amor, desta graça, para que possam entrar nos céus por esse novo e vivo caminho, como a noiva do Cordeiro de Deus.

Fui justificado por Deus, declarado inocente e toda a minha dívida foi perdoada. Sou livre para o adora-lo, para o ama-lo e para dizer que só o Senhor é Deus. Deus que sara, restaura, vivifica, liberta e leva o homem para céu. Amém!